terça-feira, 27 de março de 2018

Sempre perto de ti A.A.M...


Tenho sempre saudades tuas e contudo abraças-me sempre que preciso e ouves-me sempre com a mesma atenção!

sexta-feira, 9 de março de 2018


A renúncia do Cuco...

O tempo não cura, nem apaga,
o tempo é apenas luto que luto para ultrapassar,
não sei chorar tudo, tenho que rir nos intervalos,
o choro é um mudo a mendigar atenção
a fazer sinais com as mãos,
perante a confusão dos demais...
Rir liberta-me e cura-me,
surpreende a minha capacidade
de reagir à realidade, sem fugir.
Ser só não é só estar sozinho,
é escolher um caminho
sem a sombra de alguém,
é escolher ser ímpar num mundo par.
Sou só mas não me sinto mais só do que o resto do mundo,
que no fundo também não se sente acompanhado,
ou aconchegado da solidão,
a condição humana engana o coração
e não sabe dar-se aos outros.
O Homem tem medo do Amor
como tem medo de estar sozinho...
E o medo é um muro à volta de quem somos,
sempre fomos escravos como passaros em gaiolas
sem usarem as asas a agradecerem o tecto das casas...
O tempo não cura, nem apaga
porque é apenas tempo e a mudança somos nós,
não é feita de ponteiros de relógio,
nem de um cuco sobressaltado,
hei-de Amar sempre porque sem Amor nada somos
e eu sinto que sou alguma coisa!

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Adoro...


Câmara escura...

Tenho um choro desidratado estampado no sorriso,
uma felicidade, aparente, que sente a dor
como uma ameaça, que a trespassa em silêncio...
Não sei sofrer,
acho que no dia em que chorar tudo
não sobrará nada,
ninguém regressa do mundo dos mortos.
Dispo a tristeza, peça a peça,
arrepio-me de coragem e lavo-me...
A agua do mar purifica-me,
mesmo aquela que me lava o olhar,
deixo-me ficar a ver o céu
e a imaginar o teu rosto,
gosto que sejas o meu sonho furtivo!
Uma espécie de liberdade da piedade,
o contrário arbitrário do que sou,
o meu negativo...
Somos todos fotografias, rasgadas, à procura
de sermos reveladas numa, claustrofóbica, câmara escura
para nos tornarmos, tão só, no quadro da nossa vida
e acabamos tantas vezes numa moldura esquecida, cheia de pó....


sábado, 17 de fevereiro de 2018

I, Tonya

Nunca ninguém lhe deu realmente uma oportunidade, sempre a olharam como uma espécie de aberração e ela era maravilhosa...
Ainda assim nunca desistiu de nada.
Não sei de teve ou não culpa directa no ataque à Nancy Kerrigton, mas uma vez mais nunca ninguém lhe deu realmente uma oportunidade, o mundo é muito duro para mulheres que ousam ser diferentes e destemidas.
(A interpretação da Margot Robbie está soberba!)


sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Love doesn't hurt, people do...

No dia em que as pessoas entenderem que o Amor é o único caminho deixarão de se sentir perdidas...

O Amor não desilude,
não ilude,
não destrói, nem constrói nada...
O Amor não se encontra,
não se procura,
não é uma montra de vaidades,
ou uma loucura de momento,
não é um sentimento,
verdade ou mantra,
nem vem às metades...
O Amor é maior,
melhor do que nós,
não magoa,
porque não é pessoa,
nem pessoal,
é talvez a magia da energia da vida,
corrompida em ser mortal...
E nunca desiste de nos salvar da nossa incapacidade de amar...